quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

"Tá reclamando de quê?"

Recebi um desses e-mails que a gente não sabe quem é o autor, mas nos faz exclamar: "Que cara brilhante!" e consegue nos fazer refletir. Veja o texto aí abaixo e diga se você tem o direito de continuar reclamando ou também tem que iniciar a mudança.
BRASILEIRO RECLAMA DE QUÊ?
Tá Reclamando do Lula? Do Serra? Da Dilma? Do Arruda? Do Sarney? Do Collor? Do Renan? Do Palocci? Do Diluiu? Da Roseanne Sarney? Dos políticos distritais de Brasília? Do Jucá? Do Kassab? Dos mais 300 picaretas do Congresso?

O Brasileiro é assim:
1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, e até dentadura.

5. - Fala no celular enquanto dirige.

6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

7. - Pára em filas duplas, triplas em frente às escolas.

8. - Viola a lei do silêncio.

9. - Dirige após consumir bebida alcoólica.

10. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

11. - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.

12. - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

13. - Faz “gato
de luz, de água e de TV a cabo.

14. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

15. - Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.

16. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

17. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou R$10,00 pede nota fiscal de R$20,00.

18. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

19. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

20. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

21. - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.

22. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

24. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

25. - Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

26. - Leva, das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis... como se isso não fosse roubo.

27. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

28. - Falsifica tudo, tudo mesmo... só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

29. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

30. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.


31. - Dá Trocadinho pra crianças e mendigos no sinal, incentivando ao não trabalho e a vida fácil, e pensa que assim pode ficar com a consciência tranquila de que esta fazendo um ato de solidariedade e ajudando os mais necessitados.

E quer que os políticos sejam honestos...

Escandaliza- se com a farra das passagens aéreas...

Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?

Brasileiro reclama de quê, afinal?

E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!
Vamos dar o bom exemplo!

Espalhe essa idéia!

"Fala-se tanto da necessidade deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (mais educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos..."

A mudança deve começar dentro de nós, das nossas casas,
em nossos valores, em nossas atitudes!

domingo, 5 de dezembro de 2010

Só tem mulher quem pode - Luiz Fernando Veríssimo

O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha 'Salvem as Mulheres!'
Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

·              Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

·              Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um 'eu te amo' no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

·              Flores
Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

·              Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

·              Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

·              Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

·              Não faça sombra sobre ela
Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.
É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.
Só tem mulher quem pode!






Luiz Fernando Veríssimo

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

O Santo Relutante

A minha vida toda eu estudei em uma escola de freiras franciscanas, assim muito cedo aprendi admirar o São Francisco em sua forma santificada.
Acabo de ler um livro maravilhoso sobre ele, “Francisco de Assis – O Santo Relutante”, onde a sua humanidade é destacada brilhantemente pelo biógrafo e teólogo americano Donald Spoto, com base em uma rigorosa e inédita pesquisa documental.
O livro mostra que Francisco foi um jovem entusiasmado, com todo o sentido da palavra, mesmo sem ele saber disso, saber que Deus já agia na vida dele desde sempre. Foi rico, aventureiro, “namorador”, rebelde, engajado, de pouco estudo, teve uma relação difícil com o pai, foi soldado e depois defensor dos pobres, amigo dos animais, pregador itinerante, restaurador de igrejas, justo e bondoso. Fica evidenciado que grande parte do que conhecemos da sua vida e resultado de lendas que de certo modo deixou escondido a maravilhosa humanidade desse santo.
São Francisco foi muito mais que só o padroeiro dos animais. Ele foi o compositor da primeira canção em italiano, influenciou as artes plásticas, a literatura e o cinema. Nunca foi um teórico da vida espiritual, o autor observa que “Ele jamais falava em Deus a não ser em termos de experiência, porque era testemunha de um Deus vivo e atuante. Falava somente daquilo que conhecia, ouvia e sentia (...), ele acreditava num Deus pessoal e amoroso"

Durante a leitura coisas interessantes são reveladas, algumas eu já conhecia outras foram completa novidade. Coisa como:
ü            Sua mãe o batizou com o nome de João Bernardone em homenagem a São João Batista, mas seu pai, que estava de viagem na ocasião, não aceitou que o filho tivesse o mesmo nome de um profeta bruto e grosseiro que vivia no mato e comia gafanhotos;
ü            A “oração de São Francisco” não foi escrita por ele e sim por um aristocrata católico frances;
ü            Francisco teve malária muito jovem, quando esteve preso após uma guerra, e a doença o acompanhou e maltratou por toda a vida.

O livro cita pouco a relação dele com os animais e como se tornou o Padroeiro, mas mostra que, muito antes de ser moda, Francisco era um ecologista. Também diz pouco sobre a saudação “Pax et Bene”, mas ainda assim vale cada linha. Garanto que a leitura te prenderá do começo ao fim

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Adeus! Quem sabe um dia a gente se reencontra numa das curvas da vida.


Sabe aquelas decisões importantes, que vc sabe que precisa tomar e vai protelando... protelando... até que não tem mais jeito? Chega uma hora que não dá mais para adiar. É preciso abandonar os sonhos juvenis, encarar a situação com maturidade e fazer o que tem que ser feito. Fazer a coisa certa!
Confesso que titubeei várias vezes... Decidi depois me acovardei... Decidi de novo, me acovardei outra vez. Achei que devia insistir mais vezes...
Mas agora é a hora. Ou perco a trilha da felicidade, da alegria, do viço.
Então: Adeus! Quem sabe um dia a gente se reencontra numa das curvas da vida

terça-feira, 12 de outubro de 2010

sábado, 9 de outubro de 2010

Cidadania

Ontem fui fazer uma palestra como tema “cidadania: direitos e deveres”, em uma comunidade com muitas pessoas carentes e que enfrentam dificuldades de todas as ordens. Cheguei lá pensando que teria que fazer um imenso esforço porque as pessoas não se interessariam pelo assunto. Que engano! Que maravilhoso engano!
Saí de lá com o coração cheio de alegrias e emocionada com a participação daquelas pessoas.
Optei por deixar a teoria de lado e conversar com elas sobre a vivência dos nossos direitos e deveres, e que lindo foi vê-las interessadas, participantes, ávidas por conhecimento e desejosas por expressar-se.
Sai de lá recompensada por cada um dos olhos brilhantes que me acompanhavam, por cada um dos abraços que recebi na despedida, pela certeza de que a partir de ali pensarão e agirão de forma a contribuir melhor com sua comunidade, pois chegaram a conclusão de que Cidadania, é acima, de tudo o direito à convivência em que cada um exerce plenamente seus deveres, conhecendo seus direitos para os fazer valer.
Exercer a cidadania é isso, um desafio. É preciso estimular o respeito e a cooperação para uma sociedade com menos desigualdade.


segunda-feira, 4 de outubro de 2010

"O Bem Vence O Mal"

Já te aconteceu de uma música ficar martelando na sua cabeça e vc não conseguir parar de canta-lá?
Pois é, há três dias eu estou cantarolando uma musiquinha antiga, daquelas bem chatinhas, mas que não me sai da cabeça.
Lembra do desenho do He-mam? E do episódio onde o Gorpo, junto com sua namoradinha a DreeElle, cantava um música para desfazer um encanto e salvar Etérnia que havia se transformado em um lugar sombrio e amaldiçoado?
Então, é essa que não paro de cantarolar. E no fundo eu estou até gostando.






Estive pensando, eu acredito piamente nisso: O BEM VENCE O MAL. E espanta o temporal de tristezas e amarguras.
Ainda acredito que vale a pena ser bom, praticar o bem, a generosidade, a gentileza, a cortesia, distribuir amor indiscriminadamente.
Posso ser piegas, mas acredito mesmo nisso e gosto de ser assim. Mesmo errando às vezes.
Quero que essa musiquinha permaneça por muito tempo na minha memória para não me esquecer que vale a pena ser bom. Que o bem sempre vence o mal, que a tão almejada alegria é fruto de harmonia e do amor.
Quero continuar cantarolando para manter a harmonia com Deus, comigo e com os outros.
Cante tbm:

O bem vence o mal
Espanta o temporal
O azul o amarelo
tudo é muito belo
O bem vence o mal
O fraco fica forte
E vence até a morte
Isso é o que ele faz
Harmonia, é o segredo que traz alegria
Só se vence quando há harmonia
Harmonia e amor.
Some a escuridão
Relâmpago e trovão
O bem vence o mal
Espanta o temporal
Espanta o temporal pra valer

Oração de São Francisco - revisada

Senhor, fazei de mim instrumento de vossa paz
e que eu encontre primeiro, em mim,
a harmoniosa aceitação de meus opostos.


Onde houver ódio, que eu leve o amor,
aceitando o ódio que possa existir em mim
e compreendendo todas as faces com as quais o amor pode se expressar
.
Onde houver ofensa que eu leve o perdão
e que me permita ofender para ser perdoado.

Onde houver discórdia que eu leve a união
e que eu aceite a discórdia como geradora da união.

Onde houver dúvidas que eu leve a fé,
podendo humildemente, encarar minhas próprias dúvidas.

Onde houver erros, que eu leve a verdade
e que a “minha verdade” não seja única, nem os erros sejam alheios.

Onde houver desespero, que eu leve a esperança
e possa  conviver com o desânimo sem me desesperar.

Onde houver tristeza, que eu leve alegria
e possa suportar a minha tristeza e dos outros, sendo alegre ainda assim.
Onde houver trevas que eu leve a luz
após ter passado pelas “minhas trevas” e ter aprendido a caminhar com elas.

Oh, Mestre, fazei que eu procure mais:
Consolar que ser consolado
e que eu saiba pedir e aceitar consolo quando precisar.

Compreender que ser compreendido
e me conhecer antes, para ter melhor compreensão do outro.

Amar que ser amado,
podendo me amar em princípio, para não cobrar o amor que dou.

Pois, é dando que se recebe
e sabendo receber é que se aprende a doar.
é perdoando que se é perdoado
e não se perdoa a outro enquanto não há perdão por si mesmo.

E é morrendo que se nasce para a vida eterna,
e é bem vivendo e amando a vida que se perde o medo de morrer!

Amém

Quando a imagem revela do que o coração está cheio...









Oração de São Francisco

Para estar sempre no coração e nas ações.
Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois, é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna

Licença Poética - Adelia Prado

Quando nasci um anjo esbelto,
desses que tocam trombeta, anunciou:
vai carregar bandeira.
Cargo muito pesado pra mulher,
esta espécie ainda envergonhada.
Aceito os subterfúgios que me cabem,
sem precisar mentir.
Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo.  Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou.




Adélia é escritora mineira e seu surgimento na Literatura Brasileira representou a revalorização do feminino nas letras e da mulher como ser pensante, ainda que maternal, tendo-se em conta que Adélia incorpora os papéis de intelectual e de mãe, esposa e dona-de-casa; por isso sendo considerada como a que encontrou um equilíbrio entre o feminino e o feminismo

Girassóis - Pe Fábio de Melo

Mas um retalho:
Eu adorei esse texto do Pe Fábio de Melo, foi publicado no blog dele em 04/08/09. http://www.fabiodemelo.com.br/ 
Sempre tive fascínio por girassóis. Minha primeira escola se chamava “Pré-escola Girassol”. Acho que foi aí que comecei a gostar de girassóis….

Os girassóis e nós.
Eles são submissos. Mas não há sofrimento nesta submissão. A sabedoria vegetal os conduz a uma forma de seguimento surpreendente. Fidelidade incondicional que os determina no mundo, mas sem escravizá-los.
A lógica é simples. Não há conflito naquele que está no lugar certo, fazendo o que deveria. É regra da vida que não passa pela força do argumento, nem tampouco no aprendizado dos livros. É força natural que conduz o caule, ordenando e determinando que a rosa realize o giro, toda vez que mudar a direção do Regente.
Estão mergulhados numa forma de saber milenar, regra que a criação fez questão de deixar na memória da espécie. Eles não podem sobreviver sem a força que os ilumina. Por isso, estão entregues aos intermitentes e místicos movimentos de procura. Eles giram e querem o sol. Eles são girassóis.
Deles me aproximo. Penso no meu destino de ser humano. Penso no quanto eu também sou necessitado de voltar-me para uma força regente, absoluta, determinante. Preciso de Deus. Se para Ele não me volto corro o risco de me desprender de minha possibilidade de ser feliz. É Nele que meu sentido está todo contido. Ele resguarda o infinito de tudo o que ainda posso ser. Descubro maravilhado. Mas no finito que me envolve posso descobrir o desafio de antecipar no tempo, o que Nele já está realizado.
Então intuo. Deus me dá aos poucos, em partes, dia a dia, em fragmentos.
Eu Dele me recebo, assim como o girassol se recebe do sol, porque não pode sobreviver sem sua luz. A flor condensa, ainda que de forma limitada, porque é criatura, o todo de sua natureza que o sol potencializa.
O mesmo é comigo. O mesmo é com você. Deus é nosso sol, e nós não poderíamos chegar a ser quem somos, em essência, se Nele não colocarmos a direção dos nossos olhos.
Cada vez que o nosso olhar se desvia de sua regência, incorremos no risco de fazer ser o nosso sol, o que na verdade não passa de luz artificial.
Substituição desastrosa que chamamos de idolatria. Uma força humana colocada no lugar de Deus.
A vida é o lugar da Revelação divina. É na força da história que descobrimos os rastros do Sagrado. Não há nenhum problema em descobrir nas realidades humanas algumas escadarias que possam nos ajudar a chegar ao céu. Mas não podemos pensar que a escadaria é o lugar definitivo de nossa busca. Parar os nossos olhos no humano que nos fala sobre Deus é o mesmo que distribuir fragmentos de pólvora pelos cômodos de nossa morada. Um risco que não podemos correr.
Tudo o que é humano é frágil, temporário, limitado. Não é ele que pode nos salvar. Ele é apenas um condutor. É depois dele que podemos encontrar o que verdadeiramente importa. Ele, o fundamento de tudo o que nos faz ser o que somos. Ele, o Criador de toda realidade. Deus trino, onipotente, fonte de toda luz.
Sejamos como os girassóis…
Uma coisa é certa. Nós estamos todos num mesmo campo. Há em cada um de nós uma essência que nos orienta para o verdadeiro lugar que precisamos chegar, mas nem sempre realizamos o movimento da procura pela luz.
Sejamos afeitos a este movimento místico, natural. Não prenda os seus olhos no oposto de sua felicidade. Não queira o engano dos artifícios que insistem em distrair a nossa percepção. Não podemos substituir o essencial pelo acidental. É a nossa realização que está em jogo.
Girassol só pode ser feliz se para o Sol estiver orientado. É por isso que eles não perdem tempo com as sombras.
Eles já sabem, mas nós precisamos aprender.

Assistentes Sociais

Sou Assitente Social e amo minha profissão. Recebi esse texto em um e-mail. Não sei quem é o autor, mas é muito divertido.
Bjs colegas
Assistente Social?
Assistente Social Não sai, Realiza visita Institucional.
Assistente Social Não faz fofoca, realiza Mobilização.
Assistente Social Não conversa em vão, realiza atendimento Social.
Assistente Social Não escreve cartas, escreve encaminhamentos.
Assistente Social Não se senta para tomar cerveja, senta para reunião de equipe.
Assistente Social Não vai á casa de amigos, realiza visita domiciliar.
Assistente Social Não brinca, realiza socialização infanto-juvenil.
Assistente Social Não separa brigas, realiza mediação de conflitos.
Assistente Social Não liga, faz contato institucional.
Assistente Social Não dá, ou doa nada, concede benefícios.
Assistente Social Não sufoca ninguém, realiza supervisão de serviço.
Assistente Social Não dorme, fica acamado por pouco tempo.
Assistente Social Não monta panelinhas, supervisiona grupos.
Assistente Social Não tem preconceitos, faz diagnostico social.
Assistente Social Não se situa no espaço, faz diagnostico socio-espacial.
Assistente Social Não segue ou persegue ninguém, realiza acompanhamento.
Assistente Social Não preenche tabelas, realiza estatísticas.
Assistente Social Não escreve textos, escreve artigos científicos e relatórios.
Assistente Social Não pratica socialização entre áreas, realiza intersetorialidade.

Hino Nacional

Encontrei esse texto no blog do Chico Anysio (http://bloglog.globo.com/chicoanysio/ ). Achei muito interessante.

Nosso hino é muito lindo e emocionante, pena  que seu português erudito dificulta sua compreensão. Mas a poesia do Chico ficou muito legal.

Pela idade que tenho eu creio que todos sabem que eu estudei latim onde as frases são escritas na ordem inversa. Assim é o nosso Hino Nacional. Eu então fiz uma experiência que achei interessante e passo a vocês. Peguei a primeira parte do Hino e a coloquei na ordem direta. Virou poesia. Vejam aqui:

Às plácidas margens do Ipiranga
ouviram o brado retumbante de um povo heróico.
Nesse instante, no céu da Pátria,
brilhou, em raios fúlgidos o sol da Liberdade.
Se conseguimos, com o braço forte
conquistar o penhor dessa igualdade…
…Oh, Liberdade!
Em teu seio o nosso peito
desafia a própria morte.
Oh, Pátria amada,
Idolatrada
Salve! Salve!

Brasil…desce à terra
um raio vívido de um sonho intenso
de amor e de esperança.
Resplandece a imagem do Cruzeiro
(pela própria natureza…gigante!)
És belo
és forte
colosso impávido;
e esta grandeza o teu futuro espelha.
Entre outras mil, Brasil,
és tu terra adorada.
Oh Pátria amada!
És mãe gentil dos filhos deste solo.

Brasil… Pátria amada.”

domingo, 3 de outubro de 2010

Oração - Dons do Espirito Santo

Senhor, seja o sustento da minha vida através dos Dons do Espírito Santo.
Fazei-me dócil para obedecer, prontamente, às inspirações divinas
“Ensina-me a cumprir a Tua vontade,
pois Tu és o meu Deus
Que o Teu bom espírito me conduza
por uma terra aplainada” (Sl 143:10)
Cubra-me com Teus Dons, Meu Pai.

Para que eu faça as escolhas certas na vida, dai-me, Senhor, o Dom da Sabedoria.
Que eu não me aparte da prudência, da moderação da temperança e sensatez.

Para que eu decida entre o bem e o mal, dai-me, Senhor, o Dom da Inteligência.
Que eu seja capaz de aprender, apreender, compreender e perceber, principalmente as coisas do alto.

Para que eu seja útil aos irmãos e irmãs, dai-me, Senhor, o Dom do Conselho.
Que eu compartilhe o senso do que convém, a prudência e o tino inspirada pelo Espírito.

Para que eu seja forte diante das dificuldades, dai-me, Senhor, o Dom da Fortaleza.
Que eu encontre no Senhor a solidez, a segurança, a firmeza, a Constancia e a força moral.

Para que eu apóie o progresso que favorece o bem comum, dai-me, Senhor, o Dom da Ciência.
Que através da observação, da experiência e da meditação eu atinja o conhecimento das coisas de Deus e as distinga das coisas do inimigo.

Para que eu dê valor e reconheça a presença de Deus dai-me, Senhor, o Dom do Temor.
Que eu nunca perca o sentimento de reverência e respeito ao Pai.

Para que eu esteja sempre aberta a Deus e sensível aos irmãos e irmãs dai-me, Senhor, o Dom da Piedade.
Que eu tenha sempre compaixão pelo próximo; devoção, respeito e amor à Igreja.
 
Dai-me, ó Deus, os Dons do Espírito Santo para ser vencedora das provações, forte na dor, perseverante na caridade e sensível aos irmãos e irmãs que sofrem.
Para que o Espírito Santo frutifique e modele em mim as primícias da glória eterna.
Que eu saborei e distribua fartamente os frutos do Espírito: a caridade, a alegria, a paz, a paciência, a bondade, a benignidade, a mansidão, a fidelidade, a modéstia, a continência, a castidade, a longanimidade e o autodomínio.

Amém